NIPP
  • Desafios e Soluções para a Segurança Pública de Chapecó

    Publicado em 18/05/2019 às 19:08

     

    Pesquisadores discutem a segurança pública na UNOCHAPECÓ

     

    Seminário que busca ampliar as discussões sobre a Segurança Pública em Chapecó, seja a partir de estudos acadêmicos sobre o tema, seja conhecendo as problemáticas e propostas de enfrentamento que alguns órgãos locais ligados diretamente à segurança pública estão buscando ao tratar a questão.
    O evento é aberto à comunidade e a participação dará direito a Declaração de 6 horas.

  • NIPP – Núcleo Interdisciplinar de Políticas Públicas

    Publicado em 26/02/2019 às 15:44

  • Pesquisa de Vitimização na UFSC – 2016

    Publicado em 14/11/2018 às 13:48

     

    Relatório Final Pesquisa Vitimização Survey UFSC


  • Estatuto do Desarmamento salvou 160.000 vidas, calcula estudo

    Publicado em 17/10/2018 às 19:21

    Lei que pode ser derrubada pela Câmara dos Deputados poupou a vida de 113.071 jovens

    Por Gil Alessi do El País

    Armas apreendidas pela Polícia Civil de Santa Catarina.

     

    Enquanto na Câmara dos Deputados parlamentares ligados à bancada da bala discutem um projeto de lei que pretende acabar com o Estatuto do Desarmamento, o Mapa da Violência 2015 defende a importância da lei na redução das mortes com arma de fogo. De acordo com o relatório, que será divulgado nesta quinta-feira, o Estatuto foi responsável por poupar 160.036 vidas desde sua sanção pelo presidente Lula, em 2003 – o equivalente à população de uma cidade de médio porte como Nilópolis, no Rio de Janeiro, ou Itapecerica da Serra, em São Paulo. Desde total de pessoas salvas, o estudo indica que 113.071 foram jovens na faixa etária entre 15 e 29 anos.

     

    A linha vermelha mostra a curva dos homicídios entre 1993 e 2012, enquanto que a verde é a evolução esperada caso não houvesse o Estatuto do Desarmamento.

     

     

    Veja a matéria completa:

    https://brasil.elpais.com/brasil/2015/05/13/politica/1431545595_563619.html

     


  • AGENDA SEGURANÇA PÚBLICA É A SOLUÇÃO

    Publicado em 03/08/2018 às 8:51
    Imagem relacionada
    Organizações desenvolvem propostas para a segurança pública que podem balizar o debate na área.
    A Agenda está organizada ao redor de duas prioridades que a segurança pública necessita enfrentar nos próximos quatro anos:
    1) Redução e prevenção dos crimes violentos
    2) Enfraquecimento das estruturas do crime organizado.
    As propostas para enfrentar os problemas identificados se dividem em sete eixos programáticos:
    1. Sistema eficiente para gerir a segurança pública;
    2. Estruturas estatais coercitivas e regulatórias para enfrentar o crime organizado;
    3. Efetividade e eficiência do trabalho policial;
    4.Reestruturação do sistema prisional;
    5. Programas de prevenção da violência;
    6. Reorientação da política de drogas;
    7. Regulação e o controle das armas de fogo.
    Acesse o documento completo:

  • 12° Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública – 2018

    Publicado em 02/08/2018 às 12:57

    Resultado de imagem para fbsp 2018 encontro 12

    Com o tema “Elegendo a Segurança Pública que Queremos” o 12º Encontro do FBSP vai priorizar o debate em torno das propostas para redução da violência e de temas urgentes para enfrentar a grave crise de crescimento da criminalidade e da insegurança que o país enfrenta.

    Inscrições até dia 19/08/2018

    Homepage

    Cidade: Brasília

    Local: UnB

    Data: 20 a 22/08/2018

     


  • Assista os vídeos/palestras do Seminário Pesquisas de Vitimização e Sentimento de Insegurança, realizados dias 17 e 18 de Maio – 2018 na UFSC – SC

    Publicado em 28/06/2018 às 9:38

    Todos os vídeos:

    https://www.youtube.com/channel/UCOEpZOKY8d-hjCNEppAQuOw/videos?view_as=subscriber


  • NIPP/UFSC e Instituto Werner realizam primeiro Seminário do Brasil com foco em Pesquisas de Vitimização e Sentimento de Insegurança

    Publicado em 20/06/2018 às 22:39

    Pesquisas de Vitimização são essenciais para se medir tendências criminais e entender os impactos objetivos e subjetivos da violência na sociedade em geral e nas instituições e nos indivíduos em particular.

    Tais estudos permitem também a elaboração de diagnósticos concretos sobre as ações dos governos e dos órgãos de segurança, além de nos oferecer indicadores básicos para se medir os resultados alcançados nas políticas públicas. Assim sendo, com o diagnóstico e os estudos na área, torna-se possível a elaboração de políticas de Segurança Pública efetivas.

    Com base nisso e com vistas a congregar a academia, estudantes, pesquisadores, sociedade civil, órgãos de segurança e gestores, bem como, o público em geral, o NIPP, com o apoio do Instituto Werner, organizou nos dias 17 e 18 de Maio de 2018 o Seminário Internacional Pesquisas de Vitimização e Sentimento de Segurança. O evento aconteceu na cidade de Florianópolis – SC, na Universidade Federal de Santa Catarina.

    O evento reuniu pesquisadores do Brasil, como o Dr. Marcos Rolim do Instituto Cidade Segura, a Dr. Ariadne Natal da USP (Universidade de São Paulo) e o Dr. Bráulio F Alves da Silva da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) entre outros. Do Chile veio o Dr Luiz Vial da Universidad Diego Portalese e da Espanha o Dr Riccardo Valente da Universidade de Barcelona. Pesquisadores de outras universidades também estiveram presentes.

    Além da organização por parte do NIPP/UFSC, com coordenação do professor Erni J. Seibel, o evento contou com o apoio da UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, do CFH/UFSC – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, do Observatório Violências e Segurança Pública/UNOCHAPECÓ e do núcleo de pesquisa Learning, Media & Social Interactions da Universidade de Barcelona. Vale destacar também que a realização do Seminário contou fundamentalmente com a parceria do Instituto Werner.

     

    O Seminário Internacional Pesquisas de Vitimização e Sentimento de Insegurança alcançou todos os seus objetivos: realizou um dos primeiros (se não o primeiro) evento com foco exclusivo em Pesquisas de Vitimização; reuniu a comunidade academia, experts, sociedade civil, instituições de ensino, órgãos de segurança e governamentais, contribuindo tanto no campo científico como no debate sobre políticas públicas efetivas na área da segurança; trocou informações, dados, experiências e metodologias com profissionais do Chile, da Espanha e de diversas partes do Brasil; representou o Instituto Werner e cumpriu com sua função de fomentar pesquisas quantitativas que expliquem as variações.


  • Veja a reportagem do programa “SC em Ação” (SBT) sobre o Seminário Internacional Pesquisas de Vitimização e Sentimento de Insegurança.

    Publicado em 23/05/2018 às 13:26

    SEMINÁRIO VITIMIZAÇÃO/SENTIMENTO DE INSEGURANÇA

    A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA FOI SEDE DO SEMINÁRIO INTERNACIONAL: PESQUISAS DE VITIMIZAÇÃO E SENTIMENTO DE INSEGURANÇA. NO EVENTO FORAM DIVULGADOS RESULTADOS DOS ESTUDOS QUE PRETEDEM FORMULAR POLÍTICIAS DE SEGURANÇA PÚBLICA VOLTADAS PARA OS TEMAS EM DESTAQUE.

    Publicado por SC em Ação em Terça-feira, 22 de maio de 2018

     

     


  • Marcos Rolim: uma visão reveladora e desconcertante sobre a Vitimização e a Segurança Pública

    Publicado em 11/05/2018 às 19:04


    “Não se produz políticas de segurança pública sem pesquisas de vitimização!” este é o mote principal que será abordado pelo Prof. Marcos Rolim em sua palestra de abertura do Seminário Pesquisas de Vitimização e Sentimento de Insegurança​, dia 17/05 às 10h.

    O professor deverá abordar a importância de se produzir pesquisas de vitimização no atual contexto, assim como as qualidades das mesmas em contrapor ao problema das chamadas “cifras ocultas” e, ao mesmo tempo revelar o universo “não oficial” da vitimização no cotidiano; a mesmo tempo pesquisas de vitimização também revelam a associação entre a vitimização e o sentimento de insegurança que estes fatos provocam, direta ou indiretamente.

    Marcos Rolim, especialista em segurança pública e direitos humanos, oferece uma visão reveladora e desconcertante de um dos assuntos mais prementes da atualidade: a segurança pública. Utilizando dados da moderna criminologia, analisando exemplos e fazendo uma análise comparativa de diversas práticas policiais internacionais, o autor mostra como as polícias podem ser repensadas e quais os parâmetros mais promissores para uma reforma eficaz.

    O Prof. Marcos Rolim é Presidente do Instituto Cidade Segura, de Porto Alegre