NIPP
  • Prof. Felipe M. Monteiro analisa os dados do Atlas da Violência para SC em Ação!

    Publicado em 26/06/2017 às 13:39

    http://https://www.facebook.com/SCemAcao/videos/1914708745478763/

    ProF. Felipe Mattos Monteiro, UFFS e pesquisador do NIPP e do Observatório Violências e Segurança Pública concede entrevista ao Programa SC em Ação sobre os resultados do Atlas da Violência 2017 divulgado pelo IPEA e FBSP.


  • VITIMIZAÇÃO E SENTIMENTO DE INSEGURANÇA NA UFSC.

    Publicado em 21/06/2017 às 9:45

    Cartaz vitimizacao

    O NIPP e  OBSERVATÓRIO VIOLÊNCIAS E SEGURANÇA PÚBLICA convidam  todo(a)s para a apresentação dos resultados do survey  aplicado  junto aos estudantes da UFSC sobre “VITIMIZAÇÃO e SENTIMENTO DE INSEGURANÇA” no dia 23/06/2017, miniauditório do CFH,  14:00.


  • NIPP ANALISA O ATLAS DA VIOLÊNCIA EM SANTA CATARINA

    Publicado em 16/06/2017 às 9:28

    Prof. Felipe Mattos  Monteiro analisa os dados do Atlas da Violência/2017 no Brasil e Santa Catarina.

    Sobre o Atlas da violência- 14-06


  • ROUBOS E FURTOS EM FLORIANÓPOLIS: ANALISE DO MOVIMENTO ESPACIAL E TEMPORAL

    Publicado em 29/05/2017 às 8:45

    Este TCC ( Evelyn Fogaça Alves)  é fruto de uma parceria entre o Núcleo Interdisciplinar em Políticas Públicas (NIPP) e a Gerência de Estatística e Análise Criminal (GEAC) da Secretaria de Estado da Segurança Pública de Santa Catarina (SSP/SC) para análise dos dados de furtos e roubos processados pela GEAC. Esse estudo tem como objetivo analisar a variação espacial e temporal dos registros de roubos no período 2011 a 2016 e furtos no período 2013 a 2016 da cidade de Florianópolis e também estabelecer uma associação com a pesquisa “Violências e Sensação de Segurança no Ambiente de Campi Universitários” realizada pelo NIPP. Nessa associação, procuramos realizar uma análise comparativa entre a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o bairro Trindade utilizando os registros de roubos fornecidos pela GEAC. Com os resultados foi possível notar que a ligação que os eventos de roubos e os furtos têm em comum é o fato de ambos possuírem as maiores ocorrências no Centro da cidade, fora isso eles possuem tendências distintas. Quando analisado o furto pode ser observado que o período de mais ocorrências é o verão. Já o roubo não apresentou uma tendência mensal ou sazonal, mas pode ser notado que os maiores registros são à noite. No estudo comparativo entre UFSC e Trindade, verificou-se que as ocorrências de roubos na UFSC correspondem de 19% a 42% das ocorrências da Trindade e que metade dos crimes registrados no turno madrugada na Trindade são na UFSC.

    https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/172594.


  • documentário avalia ensino médio pela voz dos adolescentes

    Publicado em 28/05/2017 às 19:04

    O Ensino Médio é notadamente um dos gargalos da educação brasileira. Alguns de seus desafios podem ser traduzidos em números: há 1,6 milhão de adolescentes de 15 a 17 anos fora da escola; destes, 10%, em média, não estudam, nem trabalham.

    No entanto, a etapa também tem que lidar com uma tarefa igualmente urgente, só que de natureza mais subjetiva: qualificar o ensino e torná-lo mais significativo aos adolescentes, o que passa por conhecer a realidade das juventudes em profundidade.

    É sobre este cenário que o documentário “Nunca me Sonharam”, uma iniciativa do Instituto Unibanco, dirigido por Cacau Rhoden e produzido pela Maria Farinha Filmes se debruça. O longa metragem se propõe a fazer uma análise do Ensino Médio a partir da interlocução com estudantes, que são convidados a falar dos sonhos, expectativas e dificuldades que levam diariamente para a escola.

    Em uma hora e meia, é possível conhecer a experiência de 70 personagens, entre os quais também figuram educadores e especialistas em educação. Conforme a narrativa se costura, se evidencia a necessidade de que o sistema educacional se comprometa com a transformação da vida dos adolescentes.

     

    Documentário avalia Ensino Médio pela voz dos adolescentes


  • A ESTATÍSTICA COMO ARMA !!

    Publicado em 26/05/2017 às 13:42

    Numa conjuntura difícil, e num contexto totalmente tomado por uma ou duas pautas, é auspicioso avançar positivamente,…

    Publicado por Claudio Beato em Sexta, 26 de maio de 2017


  • RELAÇÕES DE GÊNERO E SEGURANÇA PÚBLICA

    Publicado em 25/05/2017 às 16:15

    http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2017/03/R20-Final.pdf


  • PESQUISA e CAMPANHA INSTINTO DE VIDA

    Publicado em 25/05/2017 às 16:02

    Pesquisa de opinião produzida pelo FBSP/Datafolha para a campanha Instinto de Vida, ação que visa reduzir a violência na América Latina.
    Metodologia: pesquisa quantitativa, com abordagem pessoal em pontos de fluxo populacionais e de abrangência nacional. As entrevistas foram realizadas com a população brasileira adulta com 16 anos ou mais, em 150 municípios de pequeno, médio e grande porte entre os dias 03 e 08 de abril de 2017.
    Publicação cadastrada em: 8 de maio de 2017

    infografico-instintodevida

    Pesquisa Instinto de Vida

    http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2017/05/infografico-instintodevida.pdf


  • mancha criminal na Baixada e o interior do Rio de Janeiro tornou-se um novo desafio.

    Publicado em 11/05/2017 às 14:39

    Baixada e interior passam registrar maior parte dos homicídios do Rio em dez anos, aponta pesquisa


  • PESQUISADORES DO NIPP VISITAM ESCOLA EM PERITIBA

    Publicado em 05/05/2017 às 9:20

    Em passagem pelo Oeste catarinense os pesquisadores do NIPP puderam conhecer o  Programa da Polícia Militar que trata das Violências e Políticas Ambientais. O  projeto de formação de “protetores ambientais” nas escolas. As fotos mostram a visita do grupo à Escola de Educação Básica Irmã Anunciata Sperandio, município de Peritiba em 27/05/2017, acompanhados do  Sargento Chaves. Na oportunidade os pesquisadores puderam dialogar com os professores, alunos  sendo também recebidos pela prefeita de Peritiba NEUSA KLEIN MARASCHINI. 

    O  programa  da Polícia Militar Ambiental de Santa Catarina chamado Programa de Formação de Protetores Ambientais – PROA, acontece em todo o estado e acompanha o calendário escolar. O curso de capacitação em proteção ambiental ocorre no contra-turno das aulas regulares e  é oferecido para jovens de 12 a 14 anos que estejam regularmente matriculados nas redes educacionais públicas e privadas. São oferecidas 30 vagas por turma e o processo de entrada se dá por processo seletivo (uma prova estadual com questões relacionadas ao meio ambiente). Os alunos recebem material didático, uniforme (estilo militar), alimentação e, na maioria das vezes, transporte. A carga horária mínima é de 180 horas,  sendo 120 reservadas para aprimoramento intelectual e 60 para aplicação do conhecimento e observação de campo empírico. O processo seletivo ocorre no mês de fevereiro de cada ano.   

    Em Peritiba a turma da Escola Básica Estadual  Irmã Anunciata Sperandio o processo seletivo contou com a participação de 93 alunos dos quais  35 obtiveram classificação para frequentar o curso. O conjunto de disciplinas destacadas pelo eixo pedagógico do projeto direciona-se a cidadania socioambiental. A didática está centrada em 5 núcleos: Polícia Militar e Cidadania – onde se conecta as atividades policial militar e a defesa dos direitos sócioambientais; Fauna, Flrora, recursos Hídricos e Poluição – onde se aprimora as formas de proteção e recomposição dos bens naturais e as necessárias mudanças de comportamento do homem em relação ao elemento natural.  A conscientização e a discussão sobre as violências ambientais e as possibilidades de mitigação na forma comunitária, na forma de políticas públicas ou mesmo individual, são pontos centrais do curso. Ao final do curso em dezembro de cada ano os alunos recebem certificação de protetores ambientais e passam a desenvolver projetos de proteção e conscientização ambiental nos municípios onde residem. As atividades são monitoradas pela Polícia Militar ambiental e por órgão específicos das prefeituras, como é o caso de Ponte Serra, onde alguns alunos, depois de 2 anos de formação seguem desenvolvendo projetos e auxiliando o município nas questões ambientais, ressalta o  Sargento Chaves coordenador dos cursos de protetor ambiental  na região  da Amauc.